Eletrocardiograma - ECG

O eletrocardiograma é um método não invasivo, atraumático e que se tornou um dos exames mais utilizados para pacientes com problemas cardíacos. Ele é o melhor método para os estudos de arritmias cardíacas e para sua interpretação é necessário o domínio dos princípios eletrofisiológicos do coração, pois para que os sinais elétricos do coração se formem é necessário que um complexo mecanismo de movimentação iônica aconteça na célula. O ECG é um exame de fácil execução pois não é invasivo e dispensa sedação do paciente, sendo sua interpretação breve, sua aplicabilidade extensa e não limitada a cardiopatias.

Indicações



Este exame não fornece informações sobre a origem da doença, tampouco sobre a função cardíaca, podendo através de algumas evidências sugerir dilatação ou hipertrofia do coração, distúrbios de eletrólitos ou estimulação vagal.


Ecodopplercardiograma

O ecodopplercardiograma atualmente é a técnica de avaliação da anatomia e da função cardíaca mais utilizada, pois não é invasiva, é atraumática e dispensa anestesia do paciente. Com o uso de um aparelho de ultrassom, por meio de um feixe direcionado, é possível obter uma imagem uni e bidimensional do coração na qual, com algumas medições e cálculos, obtemos informações sobre a movimentação da musculatura, o tamanho das cavidades e o estado das valvas cardíacas.

Doppler
Esta técnica utiliza o “Princípio de Doppler” para obter a direção e velocidade do fluxo sanguíneo. Esta ferramenta foi agregada ao ecocardiograma, pois pode fornecer informações valiosas sobre a hemodinâmica do coração. As derivações do Doppler são o Doppler espectral, o Doppler colorido e o Doppler tecidual.

Aplicabilidade
Dentre as capacidades da técnica Doppler, a finalidade mais recorrente na cardiologia de pequenos animais é a averiguação da movimentação anormal do sangue tanto em direção quanto em velocidade. A imagem colorida sobreposta a imagem bidimensional convencional facilita a busca pela origem de fluxos turbulentos, que é quando o fluxo de sangue tem movimento espiral, formando turbilhões de sangue em diversas direções, podendo acontecer em estenoses e insuficiências valvares. Com o Doppler, também é possível verificar a velocidade do fluxo e, através da equação de Bernoulli modificada, podemos estimar os gradientes de pressão entre as câmaras cardíacas e calcular o volume de sangue ejetado.

Indicações